CONSULTA ONLINE

O Portal Saúde coloca à sua disposição um serviço gratuito de esclarecimento do que é a saúde mental e como a pode melhorar.

  » novo registo
» recuperar password
HOME SOBRE NÓS CONTACTOS ADICIONAR REGISTO
Segunda-feira, 28 de Setembro de 2020 | 43 visitantes online
 
  • Pesquisa
  • Pesquisa Avançada
Palavra, frase, empresa  
Actividade *
Localidade *
 

Sumo de Mangostão Xango

QUEM SOMOS   PRODUTOS
E SERVIÇOS
  LOCALIZAÇÃO
E CONTACTOS
  RECOMENDAR
 
 
 
Adicione aos Favoritos
 
GALERIA DE IMAGENS

PRODUTOS E SERVIÇOS

Principal actividade: Nutrição

 


História do Mangostão



 



O mangostão é utilizado há milhares de anos em vários países do sudoeste asiático, como a Indonésia, Tailândia, Malásia e Filipinas.



Princípios Activos do Mangostão



A polpa e especialmente a sua casca contém bioflavonóides vulgarmente designados por xantonas e outros compostos polifenóis. Estes actuam como poderosos antioxidantes e tem vindo cada vez mais a ser investigados pelas suas inúmeras qualidades e diversos efeitos terapêuticos.




Segue-se uma listagem de algumas doenças com resultados comprovados do uso de mangostão.



Mais informações em: http://www.mangostaoemsumo.com/




MANGOSTÃO E ARTRITES


Em muitos tipos de artrite, a maioria dos benefícios do mangostão virão dos seus efeitos anti-inflamatórios, porque bloqueia selectivamente os efeitos da enzima COX-2 e não provoca a perigosa gastroenterite, causada pelos efeitos secundários dos medicamentos anti-inflamatórios.


Além disso, o mangostão exibe um efeito de redução de dor neurológica que, acredito também decorre da sua capacidade de inibir selectivamente a COX-2, enzima responsável pelo desencadear da inflamação. Por exemplo, o efeito de bloquear o COX-2, é susceptível de ser o responsável pela redução da dor relatada pelos pacientes com síndroma da compressão do disco vertebral, como a ciática onde os danos aos nervos, causados pela "doença degenerativa comum", é o problema subjacente.


Mais informações em: http://www.mangostaoemsumo.com/


O MANGOSTÃO e A RINITE ALÉRGICA


O mangostão, em experiências de laboratório, mostrou ter efeitos anti-histamínicos. Também demonstrou potentes efeitos anti-inflamatórios que o tornam mais eficaz em experiências que medicamentos anti-inflamatórios prescritos. As qualidades anti microbianas da planta também podem revelar-se úteis para reduzir as complicações infeciosas da doença.




MANGOSTÃO E ASMA


As xantonas do mangostão são poderosos anti-inflamatórios. Eles têm qualidades anti-virais que podem levar à redução no número de infecções virais em humanos. Eles são antioxidantes muito poderosos e ajudam a contra atacar os danos dos radicais livres da poluição do ar, e finalmente, eles têm mostrado terem efeitos anti-alérgicos.
Não parece óbvio que o uso de um suplemento com múltiplos propósitos será benéfico para prevenir ou tratar a asma? De facto, o mangostão é um agente ideal para todas as patologias da asma: infecção, inflamação, danos dos radicais livres e alergias.
Uma chamada de atenção: Enquanto a doença com leve intermitência pode ser completamente controlada com o mangostão, e enquanto o seu uso beneficiará todas as categorias de asmáticos, não deixem as vossas medicações sem consentimento médico.

Mais informações em: http://www.mangostaoemsumo.com/


MANGOSTÃO E CANCRO


Embora vulgarmente não reconhecidos pela maioria dos médicos, os suplementos alimentares


podem ser valiosos em conjunto com a terapia padrão do cancro.


Nenhuma evidência emergiu para provar os suplementos interferem significativamente com a quimioterapia embora alguns investigadores examinassem esta possibilidade.


Adicionalmente, ao contrário das medicinas, que não fazem nada para impedir o cancro, os suplementos alimentares são extremamente eficazes em regular a disfunção celular aquele conduz à mutação e ao cancro. A expressão, "um cêntimo em prevenção vale um euro de cura" nunca foi tão bem aplicável!


As xantonas do mangostão (fitonutrientes encontrados neste fruto) provaram a capacidade de destruir células cancerígenas em estudos de laboratório. Por exemplo, a xantona garcinone E provou ser mais eficaz do que cinco agentes geralmente usados em quimioterapia (vincristine, mitoxantrone, 5-flourouracil, cisplastin e methotrexate) para o estômago, cancro do pulmão e do fígado num estudo recente “in vitro”.


Mais informações em: http://www.mangostaoemsumo.com/


MANGOSTÃO E DIABETES TIPO II


Os pacientes que usam suplementos do mangostão, reportaram:
- Diminuição dos rápidos níveis de açúcar no sangue;
- Diminuição das 2 horas pós-refeição dos níveis de açúcar no sangue;
- Diminuição do apetite e mesmo perda de peso;
- Diminuição da medicação hipoglicémica;
- Diminuição de dores da neuropatia.

Ainda não existem experiências relevantes em laboratório ou ensaios humanos que provem estes resultados.
No entanto, os resultados clínicos mostram que as xantonas agem para reduzir a resistência à insulina, o defeito nuclear na diabetes tipo II. Além disso, os alemães tratam a neuropatia periférica com antioxidantes, e todas as complicações diabéticas, sem excepção, envolvem danos pelos radicais livres.
Portanto, é razoável concluir que o poder antioxidante do mangostão também é evidente nos resultados relatados.

Mais informações em: http://www.mangostaoemsumo.com/


MANGOSTÃO E ESCLEROSE MÚLTIPLA


As xantonas do mangostão são potentes anti-inflamatórios e aparentam diminuir os prejuízos da inflamação, quer durante quer entre os ataques.
Além disso, as experiências de terapia com potentes antioxidantes têm mostrado efeitos protectores sobre a mielina, quando são atacadas pelo sistema imunológico. Macrófagos, usando rajadas de radicais livres para causar danos à mielina, são os maiores contribuintes para a patologia da EM e o extracto do mangostão tem potentes efeitos antioxidantes.
Finalmente, a protecção anti-microbiótica do mangostão pode prevenir as infecções iniciais que levam à EM, bem como, evitar recorrentes infecções do tracto urinário e infecções de feridas em pacientes com doença avançada.
Mais informações em: http://www.mangostaoemsumo.com/

MANGOSTÃO E FIBROMIALGIA


O mangostão contém um inibidor selectivo COX 2, o único botânico comprovado pela investigação a possuir tais propriedades. COX 2 é uma enzima constitutiva (ou seja, sempre presente) no líquido cefalorraquidiano e directamente envolvidos na percepção da dor.
A supressão da COX 2 pelo mangostão é o meio pelo qual se presume que a dor da fibromialgia é modificada. No entanto, a rapidez com que actua varia muito de indivíduo para indivíduo.
Em algumas experiências há melhorias em uma ou duas semanas, enquanto outros podem ter de esperar até três meses para que os efeitos se façam sentir.
Mais informações em: http://www.mangostaoemsumo.com/